ConselhosGravidez e partoParto

O CONTACTO FÍSICO NÃO É UMA MODA, É A COISA MAIS NATURAL QUE EXISTE!

14 Fevereiro, 2017 0 comments

Nos últimos anos está a tornar-se cada vez mais habitual o denominado pele a pele: colocar o bebé em contacto com a mãe ou com o pai desde o momento em que nasce, sem separá-los como era feito anteriormente. Conhece os seus incríveis benefícios?

Antigamente era normal depois do nascimento a equipa médica levar o bebé para limpá-lo, realizar os primeiros exames, vesti-lo, etc. Podia passar um tempo até que a mamã e o papá voltassem a ver o recém-nascido. Como já foi provado, é muito importante o primeiro contacto mãe/bebé pois caso contrário pode aumentar o stress no bebé, a ansiedade e as complicações médicas. Por esta razão, desde há uns anos que se está a aplicar cada vez mais o chamado “pele a pele”, método canguru ou separação zero, uma prática cada mais seguida pelos hospitais e maternidades.

Mas afinal em que consiste? Tal como explica a web da Ordem dos enfermeiros de Portugal:

“O “Contacto pele a pele” entre a mãe e o recém-nascido imediatamente após o nascimento tem vindo a ser promovido na medida em que comporta benefícios para a saúde da díade (mãe e recém-nascido) ou tríade (mãe, pai e recém-nascido) saudáveis. Este procedimento consiste na colocação do recém-nascido despido ou só com fralda sobre o tórax materno e com o mesmo coberto com um cobertor aquecido nas duas horas imediatamente após o nascimento. Deve ser estabelecido em todos os nascimentos saudáveis e imediatamente após os mesmos, de forma contínua e prolongada, pois é nos momentos iniciais após o nascimento que se estabelece gradualmente a ligação afetiva mãe-bebé. Neste sentido, o intercâmbio pelo contacto corporal afeta positivamente e a longo prazo a qualidade dos cuidados e o envolvimento materno, e consequentemente o desenvolvimento e o bem-estar infantil.”

Curiosamente esta técnica não é fruto dos avances médicos em países desenvolvidos se não da experiência adquirida com os bebés prematuros em países como a Colômbia ou Zimbábue. Com a falta de incubadoras, descobriram que o contacto direto entre as mamãs e os recém-nascidos prematuros ou com problemas de saúde favorecia a sua recuperação e facilitava que dormissem melhor e a que ganhassem peso com mais facilidade.

Pouco a pouco o “Contacto pele a pele” expandiu-se a outros países e em Portugal os hospitais e maternidades cada vez mais adotam esta prática.

Benefício da “Pele a pele” para o bebé:

O “Contacto pele a pele” é um poderoso estimulante dos sentidos através do toque, odor e temperatura, além de promover o aumento da produção materna de ocitocina, conhecida também por “Hormona do Amor”, por estarem a ela associadas propriedades estimulantes do vínculo afetivo. As mães e os pais descrevem um sentimento de “orgulho e felicidade” quando o recém-nascido abre os olhos pela primeira vez, em resposta à sua voz e por as suas faces serem as primeiras a serem vistas pelo seu filho.”

  • Um recém-nascido despido em “Contacto pele a pele” com a sua mamã ou papá, mantém a melhor a temperatura aquando está vestido e abrigado num berço;
  • Ao colocá-lo sobre o peito da mãe, o recém-nascido por instinto procura o mamilo da mãe o que facilita o correto inicio da amamentação.
  • Os bebés que mantiveram o “Contacto pele a pele” sentem-se mais tranquilos após o stress do parto e dormem melhor.
  • O contacto com a pele da mamã ou do papá estimula muito mais que qualquer brinquedo ou acessório, ainda mais se falar ou cantar suavemente para ele.
  • O “Contacto pele a pele” também permite ao bebé absorver as bactérias das epidermes da sua mamã que reforça o seu sistema imunitário e previne infeções.
Benefício do “Contacto pele a pele” para os pais:
  • O contacto pele a pele com o bebé depois do parto tranquiliza a mamã e geram endorfinas que reduzem o mau estar e dor pós parto.
  • Também permite começar um importante laço entre mãe/pai e filho. Além disso, reduz o medo irracional de não saber cuidar do bebé, fazer-lhe mal sem querer, etc. que têm muitos pais de primeira viagem.
  • Favorece que o nascimento se viva como um momento intima e privado dos papás e dos bebés em lugar de um processo médico e incómodo.
  • A pele a pele diminui a dor no peito que aparece habitualmente nas primeiras horas após o parto devido à congestão mamária
  • Se a mamã não está em condições de praticar o contacto pele a pele (por exemplo devido a à recuperação depois da cesariana) também pode fazê-lo o papá ou outra pessoa.

Quanto tempo é recomendado o contacto pele a pele? A maioria dos especialistas recomenda que seja pelo menos a primeira hora de vida do bebé. Nas 24 horas seguintes, é aconselhável que o recém-nascido continue a estar sobretudo com os pais, assim que é conveniente que as visitas sejam poucas e breves.

No seu caso, conseguiu ter o contacto pele a pele com o seu bebé? Partilhe a sua experiência

 

 

Também vai gostar de ler...

Leave a Comment

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.